sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Sigam as Piabas


Segundo etimologia regional, caldo de piaba é um caldo ralo, de pouca "sustança", mas que, junto ao caldo da caridade e outros caldos regionais, tem grande utilidade na melhora da ressaca pós-bebedeira.

Caldo de Piaba é também o nome de uma das bandas mais bacanas do Acre da atualidade. E, ao contrário da gastronomia, faz um som forte: suave e descontraído, mas, ainda assim com bastante "sustança". Seguindo uma tendência de grupos da jovem música brasileira que incursionam pelo instrumentalismo, o Caldo, segundo descrição dos próprios, "além de suas composições, apresenta releituras de velhas canções populares. (...) quem conduz a melodia é a guitarra (como na lambada e na guitarrada paraense) e o teclado (como no blues e em músicas populares brasileiras, como o 'brega') que ainda se encontram com a bateria e o baixo inspirados no funk, no ska e no samba-rock. Isso tudo misturado com um toque de psicodelia, com uma certa liberdade de improviso, e com o que mais for surgindo. Esse é o pano de fundo das composições do Caldo de Piaba que vem conquistando seu espaço no cenário da música acreana."

Pois bem. Após participações nos festivais Varadouro e Calango, ambos em 2009, e depois de uma bem sucedida turnê pelos municípios do interior do Estado do Acre, através do projeto "Piaba no Kombão", os piabas fazem suas primeiras incursões pelo sudeste brasileiro. Vejam a agenda:

17/11 - Show na Universidade Federal de São Carlos.

18/11 - Apresentação no Seminário Internacional do Fórum da Cultura Digital Brasileira, em São Paulo, com Macaco Bong e Porcas Borboletas.

19/11 - Bar Zé Presidente, em São Paulo, com Madame Saatan.

20/11 - Show em São Caetano.

Acompanhem os shows da turnê e respectiva repercussão pelo blog Piaba no Kombão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário