quarta-feira, 24 de maio de 2017

Em favor do bom debate e da Democracia - Parte 1

Hoje me dirijo ao povo do Acre para dizer os motivos pelos quais aceitei ser indicado como um dos quatro pré-candidatos da FPA ao Governo do Estado.
Não faria isso sem antes salientar a importância de um processo democrático de discussão que, ao invés de se fechar em torno de uma hipótese única de pré-candidatura majoritária, se abre ao debate amplo de diferentes possibilidades.
Também não poderia deixar de salientar a qualidade dos nomes ventilados até aqui: o da Vice-Governadora Nazaré Araújo, procuradora do Estado, filha do primeiro governador eleito, José Augusto de Araújo e coordenadora de importantes programas de Governo, tais como as políticas de atenção às mulheres e à primeira infância, de combate à dependência química, drogadição e gravidez na adolescência; do secretário de Segurança Pública, Emylson Farias, acreano de Xapuri, combatente do crime organizado e do narcotráfico e que, quando garoto, cresceu vendendo “quêbe” e refresco para, mais tarde, realizar o sonho de se tornar delegado de polícia; e do Prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, grande líder e administrador competente que, com habilidade, tem conduzido os destinos da PMRB cumprindo a risca o seu plano de  governo e estabelecendo uma excelente relação política com as lideranças comunitárias, religiosas, partidárias e com a população.
Aceitei ter meu nome colocado nesse seleto rol de grandes companheiros de luta e de jornada, por indicação do partido que agora tenho orgulho de presidir, porque acredito que a FPA transformou o Acre para melhor e ainda tem muito a colaborar para a melhoria da qualidade de vida do povo acreano. E porque também acredito que o bom debate deve ser travado não apenas em torno de nomes, mas também em torno de ideias e propostas que possam embasar a construção de um grande projeto de governo.
E, na condição de um dos quatro pré-candidatos de nossa coligação ao Governo do Estado, defendo, como idéias-força para o debate do programa com o qual a FPA se apresentará à população em 2018, as seguinte propostas:
1. Educação de qualidade máxima, como caminho para a solidificação de um projeto de desenvolvimento local e regional;
2. Empregos de qualidade, com a busca por melhores salários e renda, nas áreas privada e pública;
3. Conciliação dos preceitos da sustentabilidade (uso racional dos recursos naturais, para as presentes e futuras gerações) com os princípios do desenvolvimento econômico, por intermédio da consolidação de uma economia de base diversificada, com inclusão de todos os setores da zona urbana e rural, a partir dos pequenos empreendimentos, quer seja na produção, quer seja na indústria, comércio e serviços;

4. Cultura, esporte e lazer como mola de propulsão dos laços de pertencimento comunitário, desenvolvimento social, mais saúde e melhor segurança pública;
5. Desenvolvimento de fortes mecanismos de controle social e participação popular na gestão pública como requisito para o exercício da cidadania participativa.
Acredito que, ao construirmos o caminho do debate de ideias, contribuiremos sobremaneira com o processo democrático de escolha do nome que encabeçará nossa chapa majoritária em 2018. E que, na hora certa, independente do nome escolhido pelos partidos que integram a FPA, estaremos todos abraçados e unidos para pedirmos, mais uma vez, a confiança da população para renovarmos nossas esperanças nesse projeto que tanto tem feito pelo povo do Acre.

Daniel Zen é bacharel e mestre em Direito, deputado estadual pelo Partido dos Trabalhadores, Líder do Governo na ALEAC, presidente do Diretório Regional do PT/AC e pré-candidato ao Governo do Estado pela coligação Frente Popular do Acre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário